Pet na praia? Conheça os cuidados necessários

Veterinário destaca pontos de atenção para quem quer curtir com seu pet na praia

O verão chegou! E o que combina com essa época do ano? Sol, calor, praia e, sim, pets. Nossos amiguinhos adoram curtir um bom dia na areia com seus humanos favoritos. Por isso, prepare os óculos de sol e veja algumas dicas do médico-veterinário Márcio Waldman, da Petlovepara aproveitar ao máximo seu pet na praia.

Primeiro conselho

Fique esperto ao escolher o destino. Algumas cidades não deixam os animais entrarem na praia, então, dê um Google sobre as leis e regras do local antes de sair de casa. Tão importante quanto isso para ter uma viagem tranquila é não esquecer de antes passar no veterinário e garantir que as vacinas do pet estejam em dia. “No veterinário, não deixe de solicitar um vermífugo de amplo espectro, que previna o verme do coração, muito comum em regiões litorâneas”, explica Waldman.

O próximo passo

Uma das coisas boas da praia é poder passear no calçadão, e todos sabem que caminhadas sempre são uma boa opção para os bichinhos. No entanto, é importante que você conheça o seu animal de estimação: qual a resistência dele ao calor? Ele é muito peludo? De qualquer forma, é uma boa ideia evitar horários de sol intenso. Além disso, sabia que os pets também possuem protetor solar? “É importante passar o produto, principalmente nas regiões mais desprotegidas e nas extremidades, como o focinho, para evitar queimaduras e até males mais graves”, diz Márcio Waldman.

Lembre-se: principalmente no verão, o melhor horário para passear com seu pet é de manhã cedo ou no final da tarde (Foto: Pixabay)
O mar

E se o pet quiser se refrescar, o mar é uma tentação. “Deixe que ele tenha essa experiência, mas preste atenção nas condições da praia”, aconselha o veterinário. Outro ponto que requer atenção no mar é que a água salgada pode causar infecção nos olhos e nos ouvidos dos pets. “No entanto, existem produtos para retirar a umidade e o uso é essencial para o melhor cuidado com os animais”, afirma.

Fique atento

A observação também é essencial. Em meio a tanta informação e lazer para o pet, sempre mantenha os olhos neles para saber se estão passando bem. Waldman explica que os cachorros, por exemplo, trocam o calor pela respiração e não pelo suor, ou seja, um cachorro muito ofegante é um mau sinal. Nesses casos é necessário tirar o bichinho do ambiente quente e colocá-lo, de preferência, num local com ventilador ou ar condicionado. Caso o estado não mude entre cinco e dez minutos, é preciso levá-lo ao veterinário.

Não esqueça a água

Por fim, o veterinário aconselha a qualquer um que pretenda levar seus pets à praia não esquecer de levar um bebedor portátil para o pet não ficar desidratado. “Além disso, nada de encher o pet com muita comida. Petiscos leves são ideais para essas situações”, observa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *