Hospedagem colaborativa: Já pensou em trocar de casa durante as férias?

O sistema de economia colaborativa vem moldando a forma das pessoas comprarem e utilizarem determinados serviços, transformando não só como as pessoas fazem negócios, mas como vivem. Hoje já é possível compartilhar carros, alimentos, moradia e tecnologia, por exemplo. Não é diferente com as nossas viagens, que hoje podem ser feitas de uma forma totalmente diferente, com a hospedagem colaborativa.

Já pensou em passar férias na casa de alguém, sem pagar nada por isso, enquanto a pessoa passa férias na sua casa? O sistema já funciona no exterior, permitindo uma flexibilidade maior em relação a gastos e ao lugar escolhido para passar a temporada. Agora isso é viável também na América Latina.

Acaba de ser lançado o site BeLocal Exchange, a primeira plataforma online de troca de casas criada pela carioca Andrea Aguiar, que tem como objetivo estimular na América Latina o turismo compartilhado. A BeLocal Exchange promove uma nova forma de viajar, diminuindo em até 50% o orçamento da viagem e permitindo que o usuário explore a cidade como um morador local. O conceito é baseado em uma relação de confiança mútua, no compartilhamento de recursos e um estilo consciente de consumo. A Andrea descobriu o sistema de troca de casas em 2006 e se apaixonou pela possibilidade de aproveitar a viagem como uma “local”, fugindo do roteiro tradicional dos pontos turísticos.

Nos últimos 10 anos, ela trocou de casas 14 vezes. Nesse período, Andrea percebeu a dificuldade de explorar destinos na América Latina e decidiu trazer o conceito para a região: “Apesar de serem altamente difundidas no exterior, as plataformas atuais não oferecem muitas opções latino-americanas”.

A proposta é que o viajante troque o hotel e se hospede em uma casa, com mais conforto e privacidade, enquanto o dono dessa casa se hospeda em sua casa. A plataforma é voltada para quem pode disponibilizar sua casa nas férias ou em feriados prolongados e tem uma maior flexibilidade em relação às datas da viagem. Essa troca é feita sem nenhum tipo de custo para ambas as partes. O cadastro é feito de forma gratuita e o usuário só paga a anuidade após a primeira troca confirmada.  

Este sistema de intercâmbio de casas já é bem conhecido na Europa e nos Estados Unidos, mas só agora chegou ao Brasil, uma plataforma em português, desenvolvida por brasileiros. A ferramenta chega para revolucionar o mercado do turismo, de maneira sustentável. Antes mesmo do lançamento, a plataforma já contava com casas cadastradas no Brasil, Estados Unidos, França, Suíça e China. Hoje já são quase 1000 casas cadastradas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *